Agilidade? (por Bruno Pedroso)

104084236_640

Agilidade é reconhecer o processo de software como uma atividade inerentemente criativa, valorizando os aspectos humanos e utilizando abordagens adaptativas (ao invés de preditivas) na busca do equilíbrio entre ação (pragmatismo) e reflexão (aprendizado) ao longo do projeto.

Bruno Pedroso é coach de projetos e coordenador da área técnica da SEA tecnologia.

Anúncios

2 comentários sobre “Agilidade? (por Bruno Pedroso)

  1. Sobre os conceito de agilidade… deixo no último post, mas vale para todos os outros.

    Acredito que ao longo desses anos em que se tem falado de agilidade, o própria comunidade não tem ajudado muito os “tradicionais” a entenderem bem o que é agilidade.

    Sempre falamos em mudar mais rápido, entregar mais rápido, tudo mais rápido. Esse termo “mais rápido” está atrapalhando.

    Quando se fala mais rápido, eles querem rápido! Pediu hoje, tem que ser feito hoje ou amanhã. Isso é rápido. Times ágeis são rápidos!

    Mas na verdade o certo seria mudar antes, entregar antes, mais cedo. Esse conceito de rápido atrapalha muito o entendimento de como as coisas funcionam. Como? Vai levar 2 semanas para vc me entregar isso? Se quiser mudar algo, só daqui 2 semanas? Mas vcs não são ágeis, rápidos? É assim que as pessoas veem agillidade.

    Isso acontece muito para quem não conhece agilidade e quem não entende que rapidez não quer dizer tudo para ontem. Agilidade é flexibilidade, mudar de forma menos dolorida.

    E agilidade não é só isso. É mudar a forma de trabalhar para melhorar continuamente, incluir novas práticas para melhorar a qualidade e desempenho. A melhoria continua auxilia para poder analisar como anda o trabalho e como o cliente reage ao trabalho da equipe. A inclusão de outras práticas auxilia para criar um produto resusavel, de manutenção mais fácil, verificação mais fácil, para futuramente ter menos trabalho. E deixar o produto mais simples – não em funcionalidades – mas em estrutura, algo que o cliente não tem visibilidade.

    A gente que quer difundir agilidade, precisamos fazer as pessoas entender o verdadeiro espírito da coisa! E deixar claro que agil não é rápido, não é tudo para ontem, não é bagunça, não é trabalho sem planejamento. É apenas uma nova forma de trabalhar e de pensar. Até mesmo ao conceituar precisamos fazer isso para não levar o conceito a ideias erradas.

  2. Para mim a diferença de tudo é a atitude que deve ser modificada em quem quer trabalhar com métodos ágeis.

    Não estou interessado em fazer as pessoas entenderem, decorarem e conhecerem as práticas, como guias de aplicação. Quero que elas compreendam porque estas práticas fazem sentido. O guia elas criam.

    Quero que as pessoas tenham atitude de mudar. Quero que elas tenham atitude de trabalhar em colaboração com seus colegas de trabalho. Que queiram trabalhar e focar em melhoria contínua não importando se é algo que vai mudar o modo de trabalhar da pessoa, do time ou da organização inteira.

    É atitude.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s