Os Pequenos Notáveis!

5100243292_5a908a8383

Times pequenos (até 5 ou 6 pessoas) podem fazer mais do que times grandes (mais de 10 pessoas) simplesmente porque são menores.

Em times pequenos, a execução de tarefas do tipo “cereja do bolo” ficam sempre em último lugar, pois como o time é pequeno (e a lista de tarefas importantes é maior do que a lista de tarefas menos importantes) todos do time se mantêm trabalhando no que realmente precisa ser feito. Isso reduz significativamente o desperdício de esforço em tarefas que não precisam ser trabalhadas (pelo menos não agora).

Complementando o que já foi comentado pelo Daniel aqui no pingos de agilidade, as restrições de um time pequeno obrigam as pessoas do time a irem além do ponto em que geralmente iriam se trabalhassem em um time grande, pois geralmente (para não dizer sempre) os times grandes possuem especialistas: O Joãozinho só testa, o Pedrinho é o cara do HTML e CSS e o Huguinho conhece todos os segredos do deploy. Já em times pequenos é rotina que todos trabalhem escrevendo estórias, desenvolvendo software, fazendo tunning de banco de dados, testando, fazendo deploy, etc. E, naturalmente, este trabalho multi-disciplinar vai proporcionar ao time uma maior visão “do todo” do projeto.

Em times pequenos é fácil todos saberem o que todos estão fazendo. Isso porque as reuniões diárias são muito rápidas e, é mais fácil uma pessoa processar a informação sobre o que outras 4 ou 5 estão fazendo do que escutar e processar o que uma dúzia de pessoas falaram.

Outro ponto importante é que em times pequenos não faz muito sentido eleger uma pessoa para exercer o papel de gerente/coordenador/supervisor/seja lá o que for, já que todos fazem tudo e dominam o projeto inteiro. E, como neste caso “todos” não é sinônimo de um número grande de pessoas, o cliente (seja interno ou externo), se sente a vontade para participar das reuniões de planejamento juntamente com o time. Quem já trabalha com o hábito de realizar reuniões de planejamento sabe o quanto a presença do cliente é positiva nestas reuniões.

Sendo assim, eu acredito que treinar o time buscando continuamente melhorar as habilidades e, principalmente, a multi-disciplina de todos é melhor solução do que contratar mais pessoas.

É claro que existem casos em que a contratação é inevitável, mas lembre-se “Contrate apenas quando doer!” (e muito). 😉

Anúncios